Edição 60 Reconhecimento

Filosa: o desafio de manter em alta a excelência e inovação na FCA

Eleito destaque do Prêmio REI entre os líderes de montadoras, Antonio Filosa explica as razões do sucesso da FCA sob seu comando. Aqui ele responde três questões expostas por Automotive Business.

Patrocinadores desta edição:

Sem tempo para ler? Que tal OUVIR esse texto? Clique no play!

1. QUAL O PAPEL DA LIDERANÇA PARA O AVANÇO DOS NEGÓCIOS?

“A liderança é uma forma de conexão. Quanto mais firme for esta conexão, mais energia passará pelo circuito para ser empregada no avanço e transformação da empresa. Precisamos alinhar e somar algumas coisas importantes para que tudo vá bem. É necessário ter clareza de para onde se quer conduzir a empresa e, ao lado disto, ter confiança absoluta em sua equipe, saber de suas competências e capacidade de entrega. Esta é a base sobre a qual se deve colocar todo entusiasmo, paixão e empatia no que propõe e realiza. Este é um catalisador para o engajamento interno. O time precisa saber, com objetividade e clareza, aonde podemos chegar.

Outro ponto que acho importante destacar é a jornada da empresa para ampliar as ações de diversidade e inclusão: promover um ambiente corporativo com diversidade e respeito às diferenças é um dos papéis sociais de uma empresa. Na verdade, esta é a forma que a empresa tem de estar conectada com a sociedade que a abriga e que é diversa e composta de pessoas diferentes umas das outras. Em novembro de 2019, a FCA lançou seu posicionamento de diversidade e inclusão. Com isso, um comitê composto por pessoas de múltiplas áreas foi formado para desenvolver políticas internas em relação a gênero, raça, credo, orientação sexual e PcDs. Essas ações se relacionam, entre algumas frentes, com o desenvolvimento de talentos que fazem parte de grupos minorizados para assumir funções de liderança, partindo de um grande levantamento demográfico e de ações afirmativas para promoção de carreira”.

2. COMO VOCÊ ENCARA O DESAFIO DE MANTER EM ALTA A EXCELÊNCIA E A INOVAÇÃO NA CORPORAÇÃO?

“Começando pela inovação: para inovar com mais agilidade, a melhor estratégia é cocriar. Isto é:  buscar parcerias e estar aberto à interação, conectando a empresa a novos ecossistemas e comunidades em ambientes colaborativos, sempre com o olhar atento às tendências do consumidor. A inovação aberta tem ajudado a FCA a ampliar sua capacidade de resposta em um mundo volátil, incerto, complexo e ambíguo. As grandes oportunidades atuais demandam competências e conhecimentos que nem sempre estão disponíveis internamente. Mobilizar parceiros e startups em um processo de cocriação para o desenvolvimento de soluções traz agilidade e vantagens competitivas em um mercado em transformação acelerada.

Recentemente, a FCA foi reconhecida como uma das 100 empresas líderes em inovação aberta no Brasil, segundo a 100 Open Startups, plataforma que conecta startups a grandes empresas, avaliando o engajamento de grandes companhias no ecossistema de inovação brasileiro.

Outro importante reconhecimento da relevância do nosso potencial foi o desenvolvimento da nova geração da central multimídia UConnect aqui no Brasil, um desenvolvimento local que terá aplicação global. Foram mais de três anos de desenvolvimento e um grande desafio. Cada função do Uconnect foi validada e homologada pelo time da FCA no Brasil e o resultado é uma central multimídia de alta performance, personalizável e fácil de usar.

Mais uma vez acho importante destacar a diversidade e inclusão, pois elas ampliam a forma de pensar da empresa e aumentam o potencial da inovação e, consequentemente, a competitividade dos nossos negócios.

Assim, para nós, a ideia de excelência está intimamente ligada à ideia de inovação. E as duas estão centradas no consumidor e suas necessidades e expectativas”.

3. QUAL A ESTRATÉGIA PARA MANTER A TRAJETÓRIA DE BONS RESULTADOS?

“Este é um ano atípico, no qual uma emergência global de saúde interrompeu a curva de expansão dos negócios. Estabelecemos diante do inesperado quatro prioridades: 1) entender o que estava acontecendo; 2) proteger a saúde e a vida das pessoas; 3) reduzir as incertezas, e 4) preservar a viabilidade do negócio. A pandemia acentuou nossa percepção da empresa como uma razão social, que não basta em si, mas existe na sua interação com a sociedade. Por isto, estabelecemos uma forte parceria com as autoridades e a comunidade para apoiar a prevenção e o enfrentamento ao coronavírus, contribuindo de forma solidária em várias frentes.

Expressamos nossa solidariedade através de projetos e ações, especialmente com as comunidades no entorno dos locais onde mantém suas fábricas. Suspendemos a produção em nossas plantas no período crítico e implementamos os dispositivos e processos de segurança sanitária nas fábricas, escritórios e ambientes da FCA, para garantir um retorno seguro. Também nos mantivemos o tempo todo em contato com nossos stakeholders, trabalhando em conjunto para uma retomada inteligente quando fosse a hora e estudando a fundo para entender o comportamento das pessoas no pós-pandemia.

No exercício da solidariedade, contribuímos para a instalação de três hospitais de campanha, localizados em Minas Gerais, Pernambuco e Córdoba, na Argentina. Juntos, totalizam uma oferta de 642 leitos adicionais nos municípios onde temos plantas automotivas. Em outra frente, profissionais da FCA, treinados pelo Senai, atuaram no reparo de respiradores pulmonares inoperantes e hospitais de 52 municípios do Alagoas, Amapá, Minas Gerais, Paraíba e Pernambuco receberam seus equipamentos de volta, em plena condição de uso. Na fábrica de Betim, começamos a produção de máscaras cirúrgicas. Nossa capacidade é de 1,5 milhão de unidades por mês e parte da produção também está sendo destinada a doações para comunidades e profissionais da saúde nos estados de Minas Gerais, Pernambuco e São Paulo. Também doamos alimentos para a produção e distribuição de marmitas à população de rua e disponibilizamos mais de uma centena de veículos para o enfrentamento à pandemia, entre outras ações.

Procuramos conciliar isto com a melhor gestão possível da produção e do mercado, a fim de preservar o negócio, sem o qual não há empresa. Aceleramos os investimentos em transformação digital de todas as áreas da FCA, ampliamos nossos canais digitais de comunicação com os consumidores e lançamos em junho a Nova Fiat Strada, que vem tendo uma trajetória brilhante de mercado.

A crise ainda não passou e é preciso ter cautela. Mas a inflexão do mercado demonstra uma tendência positiva e podemos dizer que o pessimismo é um sentimento que deve ficar no passado”.

Você também pode gostar